Queria aproveitar a deixa para felicitar o Rui pela excelente formação. É certo que talvez não tenhamos conseguido os melhores resultados, mas de qualquer forma julgo que o resultado geral foi bastante positivo. Garanto-lhe que na minha... [ ver ]
ForDrive Noticias

ForDrive Noticias

Portugal é o segundo país da Europa Ocidental com mais mortes nas estradas
 

 Relatório da Organização Mundial de Saúde alerta para a necessidade de apertar a legislação sobre segurança rodoviária e recomenda aos governos mais atenção às necessidades dos peões e dos ciclistas.

Morre-se cada vez menos nas estradas portuguesas mas os números ainda não chegam para sair da “lista negra”. A par com a Polónia, Portugal é o segundo país da Europa Ocidental com maior taxa de mortalidade rodoviária, ultrapassado apenas pela Grécia.

Segundo um relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgado nesta quinta-feira, em 2010 foram registadas em Portugal 937 mortes em acidentes rodoviários, o que corresponde a 11,8 pessoas por 100 mil. Na Europa Ocidental, apenas a Grécia ultrapassa estes números, com 12,2 mortes por cada 100 mil habitantes.

Se analisarmos todo o continente europeu, Portugal está em 15.º lugar na lista dos países com mais acidentes, encabeçada pela Europa de Leste. Melhor do que Portugal estão países como a Bélgica (8,1), Itália (7,2), França (6,4), Espanha (5,4), Reino Unido (3,7) e Suécia (3).

O relatório Global status report on road safety 2013 analisa dados de 182 países relativos a acidentes rodoviários e conclui que em 2010 morreram 1,24 milhões de pessoas em acidentes de carro, quase tantas como em 2007. Apenas 88 países conseguiram reduzir o número de mortos nas estradas – os restantes aumentaram.

O documento revela que apenas um em sete países (28, no total) possui leis abrangentes que cobrem todos os cinco factores de risco na estrada: álcool, excesso de velocidade, uso de capacete, cintos de segurança e sistemas de retenção para as crianças.

Nessa fatia de 28 países, quatro classificam como “boa” a taxa de aplicação da legislação – são eles a Estónia, a Finlândia, França e Portugal. A OMS considera que é preciso apertar ainda mais a lei para prevenir as mortes nas estradas, mas não só dos ocupantes dos veículos.

Peões e ciclistas desprotegidos

“O relatório serve como uma forte advertência aos governos para abordarem as necessidades dos utilizadores não-motorizados”, escreve a OMS. Segundo o documento, 27% dos mortos são peões e ciclistas – sendo que em alguns países estes representam 75% das mortes.

“À medida que o mundo é mais motorizado, a circulação a pé e de bicicleta tem de ser tornada segura e promovida como uma opção de mobilidade saudável e menos dispendiosa”, observa a OMS. No entanto, apenas 68 dos países analisados têm políticas nacionais de promoção destas actividades e 79 países têm políticas que protegem os peões e os ciclistas, separando-os das zonas de tráfego rodoviário.

No caso de Portugal, 4% dos mortos nas estradas em 2010 eram ciclistas e 15% eram peões. Segundo a OMS, a taxa de mortalidade tem vindo a diminuir desde 2001, ano em que morreram 15 pessoas por 100 mil habitantes. O relatório adianta que o objectivo do Governo é reduzir o número de vítimas na estrada entre 2008 e 2005 em 32%, para 6,2 mortos por 100 mil habitantes.

http://www.publico.pt/sociedade/noticia/portugal-e-o-segundo-pais-da-europa-ocidental-com-mais-mortes-nas-estradas-1587747

   
 
 
  Esta notícia foi visualizada 1981 vezes
  ver todas
   
   
 
Contactos
Noticias
 
 
 
 
Certificação ForDrive

DGERT
Acreditação Entidade Formadora


Entidade acreditada formação SBV-DAE

 
decada
   
   
inicio | mapa do site | termos de uso | politica de privacidade